Descoberta sobre tipos sanguíneos pode ajudar em transplantes e cura do câncer

A, B, AB ou O. Rh Positivo ou negativo.

Essa é, basicamente, toda a informação que você tem sobre seu tipo sanguíneo. Certo?

Bom, mas ela não chega nem perto de dizer tudo o que se passa nas suas veias. Você sabia que, além do sistema ABO e Rh, existiam outros 28 tipos sanguíneos?( Duffy, Kidd, Diego e Lutheran são alguns dos nomes deles).

É, e não para por aí. Esta semana, outros DOIS tipos foram identificados. Ou seja, já são 32 proteínas responsáveis pelos tipos sanguíneos e, segundo os pesquisadores, podem haver entre 10 e 15 ainda por serem encontrados. Embora essas proteínas sejam mais raras, e não afetem toda a população, elas podem explicar casos de falha em transplantes de sangue, órgãos e até mesmo ajudar na cura do câncer.

Batizados de Langereis e Junior, os dois novos tipos não eram completamente desconhecidos. Seus antígenos (as substâncias que ativam o sistema de defesa do corpo) já haviam sido encontrados, mas ninguém havia conseguido identificar as suas proteínas. Agora, um grupo da Universidade de Vermont liderado por Bryan Ballif conseguiu identifica-las nas hemácias.

Em dois trabalhos publicados na Nature Genetics ( aqui e aqui ), os cientistas explicam que o Langereis e o Junior não são muito comuns, mas que são a causa de incompatibilidade em transfusões e de problemas em gestações  especialmente em algumas populações. Mais de 50 mil japoneses, por exemplo, devem ser Junior-negativos. Assim como alguém Rh Negativo, essa pessoa não pode receber uma transfusão de alguém Positivo. E, como até hoje a proteína Junior era desconhecida, não havia um exame para identificar se os doadores eram compatíveis.

A descoberta pode ajudar não só a realizar transplantes mais seguros, mas poderia explicar por que alguns pacientes apresentam rejeição após a doação de um órgão. Além disso, essas proteínas estão associadas à resistência a drogas anticâncer, o que pode significar uma melhora no tratamento.

TIPOS SANGUÍNEOS?

– Como nem todo mundo tem obrigação de se lembrar das aulas de Biologia na escola, aí vai uma breve explicação dos tipos sanguíneos:

O chamado sistema ABO possui quatro tipos sanguíneos: A, B, AB e O. As  letras indicam ou não a presença de substâncias, A e B, encontradas na superfície das hemácias – as células vermelhas do sangue. Você pode possuir A ou B, ambas (AB), ou nenhuma (O). Essas substâncias funcionam como antígenos, ou seja, induzem a formação de anticorpos,  as células de defesa do corpo. Em outras palavras, se você é um indivíduo com sangue tipo A, possui anticorpos anti-B, e vice versa. Quem é AB possui os dois tipos de antígenos (AB) e nenhum dos anticorpos; já o grupo O não possui antígenos, mas apresenta anticorpos anti-A e anti-B.

Basicamente, isso significa que há restrições na hora de doar sangue. O Tipo O, por exemplo,  que não possui nenhum antígeno A ou B, é doador universal. Ou seja: nenhuma substância dele se liga aos anticorpos dos sangues A, B ou AB. Já alguém de sangue A, nunca pode receber doação do sangue B, e vice-versa. O sangue O também não pode receber doações de A, B ou AB, já que possui anticorpos para atacar esses antígenos. Já o sangue AB pode receber doações de todo mundo.

Mas, Além do sistema ABO, há outros conjuntos de antígenos que funcionam da mesma forma – e o mais conhecido é o antígenos D. Se ele estiver presente, a pessoa é “Rh Positivo” (Rh+). Se estiver ausente, é “Rh Negativo” (Rh-). Um Rh+ possui antígenos D, enquanto o Rh- possui anticorpos anti-D. Ou seja: não se pode realizar uma transfusão de sangue de alguém Rh+ para Rh-, embora o contrário seja permitido.

(Fonte: Info Exame)

Adicionar novo comentario


Todos os direitos reservados a Geektech Tecnologia